Mais Notícias

Header Ads

Rede de esgoto em Balneário Piçarras



Técnicos e representantes da CASAN e da Gestão Associada de Água e Saneamento, que engloba o ógão estadual e a prefeitura, receberam ontem em Balneário Piçarras um representante da Agência de Cooperação Internacional do Japão (Jica). Koiti Ishii veio à cidade para conhecer o projeto de implantação da rede coletora de esgoto, que deve começar a ser construída em 2011, com a maior parte da obra financiada pela Jica.

O perito japonês percorreu os principais pontos de coleta e a área onde será instalada a Estação de Tratamento de Esgoto, acompanhado de uma comissão de engenheiros e diretores da Casan. O representante japonês, através de intérpretes,  sinalizou que antes das obras deve indicar uma empresa de consultoria internacional para fiscalizar o cumprimento das etapas. Segundo ele, são exigências que o governo japonês coloca para que os investimentos sejam feitos e cumpridos da maneira correta.

Elaborado em 2001, o projeto da rede coletora de esgoto em Balneário Piçarras previa atender uma população de 20,3 mil habitantes no ano de 2031, mas a cidade já conta hoje com mais de 13 mil habitantes, o que pede algumas adaptações ao projeto. Reginaldo Jaques, engenheiro da Casan, diz que esse projeto será redimensionado para atender a este crescimento acima do esperado. Os levantamentos topográficos e atualização dos dados vêm sendo feito pela Gestão Associada de Água e Saneamento desde o início do ano.

A rede coletora deve ter 44 km de extensão e atender a 95% do município. O início das obras deve ser em 2011 e a previsão para o término é 2013. Serão cinco estações elevatórias e uma de tratamento, com vazão de efluentes inicial de 5,2 mil metros cúbicos por dia. O investimento total na obra deve ser de R$ 37,9 milhões, sendo 71% financiados pela Jica  e os outros 29% ficam com a Casan.

*Imagem: Leandro Cardozo de Souza / PMBP